Pro fundo

Sabe aquela história de não desacreditar de todas as rosas só porque o espinho de uma rosa desavisada te furou?

Pois é bem por aí.

E quando eu penso que não, lá estou eu confiando de novo nas pessoas e dando meu coração de graça a quem não me oferece segurança de não me magoar.

E sabe do que mais?

Acho que viver eternamente na defensiva não vale a pena não. Difícil e trabalhoso demais não se envolver. Desculpe, mas eu não nasci pra viver na superficialidade.

Pelo avesso
vamo pro fundo, pro fundo
o arame farpado na cabeça
vento, cata-vento, vulcão
pâncreas, fígado, coração

(K. Buhr)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s