Estação

“Quando você chegar não precisa interfornar. Mete a mão na maçaneta e pode entrar.” De mim você sabe quase tudo. Você sabe onde eu guardo meus sentimentos mais caros, sabe onde escondo a minha peçonha, onde eu cultivo pequenos ressentimentos. “Você já sabe onde fica tudo aqui em casa. Fique à vontade, sem cerimônia.” É quem me acorda sem pudor, é pra quem eu ligo nas madrugadas etílicas. Conhece minhas neurores de A a Z, aguento os seus choros por uma menininha qualquer. Reclamo quando você dedica a outra músicas que foram nossas. ‘Menina Linda’ era só eu, esqueceu?! Você argumenta não ter criatividade para escolher músicas diferentes. Tudo bem. Como em ‘O Casamento do Meu Melhor Amigo’, eu empresto as nossas músicas até que você tenha novas trilhas sonoras com novas protagonistas das mesmas histórias.

O bom de grandes amores que acabam bem é ter para sempre grandes amigos que nos conhecem bem, muito bem. ‘Você é a visita que eu gosto de ter em casa’.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s